terça-feira, 31 de julho de 2012

"Reinternacionalização"


CASCAVEL - Foi a palavra cavada por Cleyton Pinteiro, presidente da CBA, quando esteve no canteiro de obras do autódromo de Cascavel, poucos dias atrás. O dirigente fez odes à reforma do local e agradeceu em nome dos dez mil e tantos pilotos filiados à entidade.

5 comentários:

Alan Magalhães disse...

Apareceu! Nada como ser engenheiro de obra pronta.

Dotta disse...

A imprensa de cascavel divulgou tambem em abril, um repasse do governo estadual na ordem de 5.000,000,00 para fazer asfalto nos bairo que não tem,mas foi para o autodromo, enquanto o povo pobre sofre em ruas sem pavimento sem galerias sem rede de esgoto sem postos de saúde e passando fome, esse mesmo povo é quem tambem paga impostos para ver a formula truk encher a cidade de reizinhos e reizões saboreando dos melhores files e das melhores pousadas torando essa grana toda... não concordo com esse perfiu de governo e pra mim ta fora não podemos aceitar isso sem puni-los tirando -os da administração através do voto... conto com o apoio de todos
tambem gosto de esporte mas cada um que banque o seu o povo não pode bancar festa de ninguem o povo merece respeito e merecem ser melhor tratado.

Jefferson Lobo disse...

No comentário anterior uma acusação fake. Anônima. Sou mais a verdade que a notícia traz do que a ilação covarde sem identidade. Deve ser do time que joga contra o desenvolvimento de Cascavel.

Daniel disse...

oi gostaria de perguntar quem sabe o verdadeiro início da F truck em cascavel? pque não se fala de uma pessoa? que inclusive morreu na primeira Corrida? aguardo respostas a minha pergunta.
Att Daniel

LUC disse...

Quanto à questão proposta acima pelo Daniel, que não fez constar seu sobrenome.

O autódromo de Cascavel foi sede, no dia 6 de setembro de 1987, da 1ª Copa Brasil de Caminhões, um evento organizado pelo jornalista português Francisco Santos, especializado em automobilismo.

Jéfferson Ribeiro da Fonseca, que à época era presidente do Automóvel Clube de Cascavel, inscreveu-se na prova com um Scania estradeiro e, depois de um acidente ao fim da reta que leva à curva do Bacião, perdeu a vida. Imagino que seja ao Jéfferson que Daniel faça alusão.

Oito anos depois, a Fórmula Truck foi formatada por Aurélio Batista Félix (que havia participado como piloto daquela corrida de 1987) e levada às pistas de Cascavel, Londrina, Goiânia e Tarumã, para corridas de apresentação que resultaram na homologação da categoria pela Confederação Brasileira de Automobilismo.

Aurélio Félix morreu em 2008.